• (65) 3667-6201
  • contato@plastibras.ind.br

O Programa Mato-Grossense da Qualidade (Quali-MT) premiou 22 indústrias do Estado, na noite de ontem (13/06), durante o 6º Prêmio de Gestão para a Excelência. O evento é uma realização do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema FIEMT), por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MT), que reconhece o empenho das empresas para o aperfeiçoamento contínuo da gestão no que se refere à melhoria constante dos processos, serviços e produtos oferecidos aos consumidores. 

 
A avaliação teve como base os critérios do Modelo de Excelência da Gestão (MEG) que define os níveis de maturidade em que a empresa se encontra.  A cerimônia contemplou os melhores nas categorias Ouro, Prata e Bronze. O evento contou com participação de mais de 600 convidados e foi realizado no Buffet Leila Malouf, em Cuiabá.
 
Na categoria Ouro, foram premiadas três empresas: Fiagril Ltda, Rexam Amazônia e Bimetal Indústria Metalúrgica Ltda. Na Prata levaram o troféu: Madeiranit Madeiras Ltda, Marco Tulio Duarte Soares (Celeiro Carnes Especiais), Maxvinil Tintas e Vernizes S/A, Perfisa Perfilados da Amazônia Ltda, Plastibras Indústria e Comércio Ltda, Refrigerantes Marajá S/A e Vitória Régia Água Mineral Ltda. No Bronze, cinco indústrias levaram o prêmio: BLM Indústria e Comércio de Vestuário Ltda, Mika da Amazônia Alimentos Ltda, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, Stamp Distribuidora de Malhas Ltda e Transterra Terraplenagem e Pavimentação Ltda e na categoria cristal: Brazservice Wet Leather S/A, Indústria Eletromecânica São Paulo Ltda, Ortobel Indústria e Comércio de Espumas Ltda, Propedia Indústria e Comércio Import. Export. Ltda, RM Indústria e Comércio de Rações e Sal Mineral Ltda, RM Sul Montagem e Manutenção Elétrica Ltda, e Tio Lino Indústria de Cereais Ltda.
 
O prêmio marcou o encerramento do ciclo 2012 do Quali-MT e inaugurou uma nova fase do programa que, a partir de 2013, será o único representante estadual do Prêmio Nacional da Qualidade (PNQ), além de englobar no rol de instituições participantes os órgãos  públicos. Durante o evento foi realizada a assinatura do convênio de cooperação técnica entre o Senai-MT, por meio do Quali-MT, Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), Movimento Brasil Competitivo (MBC) e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Mato Grosso (Sebrae-MT). 
 
A diretora regional do Senai-MT, Lélia Brun, salientou a importância da parceria. “Estamos abrindo o leque de possibilidades para que todas as empresas do Estado tenham acesso aos princípios da gestão de qualidade e, desta forma, consigam competir em um mercado cada vez mais exigente”.
O prefeito municipal de Cuiabá, Mauro Mendes, compôs o dispositivo de honra da cerimônia e reforçou a importância da premiação no sentido de valorizar as empresas que estão fazendo a diferença no Estado e que servem de modelo para o restante do setor. 
Como empresário ele aposta no desafio lançado pelo Senai-MT em trabalhar mais incisivamente junto à administração pública. “O Quali-MT atinge um estágio de maturidade muito importante. O programa está consolidado e a partir de agora ganha uma dimensão ainda maior”. Para ele a excelência é um caminho inevitável e quem não tomar essa decisão certamente vai ficar para trás.
Desde a criação, em 2007, 362 organizações participaram do Quali-MT.  Só em 2012, foram 86 empresas atendidas por meio de ações planejadas de treinamentos, visitas técnicas e consultorias. 
 
O programa é dividido em cinco categorias de acordo com o estágio de evolução da empresa em níveis de qualidade e excelência de gestão. Na categoria Cristal (100 pontos), podem concorrer empresas de qualquer porte que desejam iniciar a estruturação do sistema de qualidade. No Bronze (250), estão aquelas que iniciaram o processo de excelência. No estágio Prata (500), aparecem as organizações que já apresentaram resultados concretos do uso de metodologias avançadas de gestão por resultados e a Ouro (750) é destinada às instituições em estágio avançado em todos os quesitos tornando-se, desta forma, referência estadual em excelência.
 
Segundo o vice-presidente do Sistema Federação das Indústrias (Sistema Fiemt), Edgar Teodoro Borges, o Quali-MT tem atingindo todas as metas e gerado resultados diretos para as indústrias ampliando drasticamente as vantagens competitivas das empresas. Tanto que, a partir do próximo ano, a expectativa é que já existam instituições no Estado reconhecidas na categoria Diamante (850 pontos). “Quem já conquistou Ouro, certamente está em busca de uma proposta ainda mais desafiadora. Queremos ver nossas empresas em condições de vencer o PNQ e alcançar o topo do mercado nacional e internacional".
 
Vencedoras
 
Uma das empresas que mais comemorou a premiação foi a Bimetal Indústria Metalúrgica Ltda, reconhecida pela primeira vez na categoria Ouro. De acordo com o diretor superintendente, Luiz Alberto Nespolo, a busca da excelência já é uma constante na empresa que aderiu ao Quali-MT em 2009. Na época, a Bimetal estava em busca do prêmio na categoria Prata, reconhecimento que só veio no ano seguinte. 
 
“Tivemos um ano de treinamento e preparo para só então conseguirmos consolidar a qualidade. Existe um tempo para que as coisas aconteçam, para que a empresa amadureça e precisamos respeitar isso”.  Para ele, a agressividade do mercado exige do negócio uma postura mais definida e a excelência como hábito. “Quando nos associamos a programas de excelência estamos fortalecendo nossas bases e redesenhando o negócio para a forma que o mercado exige”.
 
As empresas Fiagril Ltda, fábrica de biodiesel, e Rexam Amazônia, fabricante de latas para bebidas, foram reconhecidas, pelo segundo ano consecutivo, na categoria Ouro. A especialista em gestão da qualidade da Fiagril, Valdirene Inês de Brito, conta que o processo de reestruturação da empresa começou em 2008. “Era hora de nos prepararmos para desafios maiores em um mercado bastante difícil de ser penetrado”. 
 
Foi quando a empresa aderiu ao Quali-MT e decidiu seguir todos os passos do programa. “O resultado foi um sucesso e aos poucos mudamos toda a cultura da empresa para a qualidade”. A analista de Lean Manufacturing da Rexam, Lilian Patrícia de Albuquerque, conta que o melhor em entrar para o programa de qualidade foi poder mensurar o grau de gestão em que a empresa estava. “Precisamos ter um olhar sobre as nossas ações no sentido de verificar oportunidades e criticar aquilo que não está de acordo. Agora vem o mais desafiador que é manter a qualidade sempre, em todas as ações da empresa”.
 
A cada ano um novo passo em busca da excelência, essa é a meta da empresa Celeiro - Carnes Especiais, indústria alimentícia, que entrou para o programa em 2011 quando conquistou a categoria Bronze. Agora, na categoria Prata, a diretora executiva Cristiane Rabaioli, revela que a qualidade sempre fez parte da missão e valores da empresa. Ao se associar ao Quali-MT a empresa ganhou novas ferramentas para garantir que as mudanças ocorram de maneira ainda mais rápida.
 
Resultados práticos também fizeram a diferença na gestão da BLM, indústria de confecções, que conquistou a categoria Bronze, no segundo ano da empresa no ciclo Quali-MT. O proprietário, Sérgio Antunes, avaliou o processo de melhoria como uma transformação natural e necessária. Para ele, o melhor de aderir ao programa de qualidade foi ver na prática os resultados. “Eu fiquei impressionado em ver que efetivamente a empresa melhorou. A cultura da qualidade impregnou, e cada vez mais faz parte do DNA da BLM. Estamos muito satisfeitos”.
 
Depois de 27 anos no mercado, a empresa Propedia, produtos ortopédicos, brinda a primeira vitória rumo a um mercado ainda mais competitivo. A empresa foi reconhecida na categoria Cristal. A proprietária, Lazara Nogueira da Silva, conta que o fato de ser uma empresa familiar facilitou a melhoria nas práticas. “A união e amizade entre os membros facilitou para que tivéssemos objetivos claros e pudéssemos caminhar no mesmo sentido. Qualquer empresa pode chegar lá, basta começar”. (Unecom/Fiemt)
 
Fonte: Site Fiemt – Senai - 14/06/2013